Cookies
Usamos cookies para melhorar nosso site e a sua experiência. Ao continuar a navegar no site, você aceita a nossa política de cookies. Ver mais
Fechar
  • Menu
O início

O início

Esta história começa nos finais da década de 80, altura em que começa a haver uma mudança de paradigma nas redes de distribuição de energia elétrica, que deixaram de ser passivas e passaram a ser redes ativas por acomodarem produção local de eletricidade.

Foi nessa altura que os investigadores do INESC TEC começaram a perceber que algo estava a mudar e que, por isso, havia uma necessidade de desenvolver soluções, nomeadamente tecnologias para apoiar o planeamento e a gestão de redes de distribuição de eletricidade.

Na década seguinte, mais propriamente em 1996, surge a primeira oportunidade para o INESC TEC trabalhar essa área, juntamente com a EFACEC. A colaboração entre as duas instituições inicia-se quando a EFACEC decide fazer evoluir o seu sistema de SCADA (Supervisory Control And Data Aquisition), que também já resultava da colaboração entre as duas insttuições, para um DMS (Distribution Management System - Sistema de Gestão de Redes de Distribuição) capaz de competir no mercado internacional.

O conceito de DMS era inovador na época, pois tradicionalmente as redes de distribuição estavam pouco instrumentadas e eram geridas com base na experiência dos operadores e em procedimentos heurísticos simples, reservando-se os sistemas de gestão técnica de redes para os sistemas de produção e transporte, sob o nome de EMS (Energy Management Systems).

Depois do fornecimento dos módulos iniciais, o sistema foi sendo instalado um pouco por todo o mundo (CERN, Tunísia, Argélia, Roménia, Vietname, Brasil, Moçambique, Grécia e Portugal) evoluindo para um EMS quando a dimensão e complexidade dos sistemas elétricos o exigiu.

A colaboração entre o INESC TEC e a EFACEC continuou assim a desenvolver-se, com o fornecimento de novos módulos, à medida das necessidades do mercado e da evolução tecnológica e científica.

Sala de Controle de supervisão e aquisição de dados do CERN

A geração de conhecimento

A geração de conhecimento

O conhecimento gerado nesta parceria estratégica resultou, desde 1996, em três teses de doutoramento, em dezenas de artigos publicados em revistas internacionais e em apresentações em conferências internacionais.

O artigo que marca o início desta nova fase é:

V. Miranda, J. Pereira, J. T. Saraiva, “Load Allocation in DMS with a Fuzzy State Estimator”, IEEE Transactions on Power Systems, Vol. 15, No. 2, pp. 529 534, May 2000.

No que diz respeito à primeira tese que marca o início desta nova fase é a de doutoramento do investigador Jorge Pereira:

“A State Estimation Approach for Distribution Networks Considering Uncertainties and Switching”, University of Porto, 2001.

No que diz respeito à geração de conhecimento técnico, os principais módulos desenvolvidos durante este período foram os seguintes:

  • Processador de topologia
  • Fluxo de Potências com Alocação de Cargas
  • Estimação de estado
  • Escalonamento com Despacho económico
  • Controlo de tensão e potência reativa
  • Reconfiguração de redes
  • Sistema de Treino de Operadores
Testar no terreno

Testar no terreno

Desde 1996 foram vários os projetos em que o INESC TEC e a EFACEC tiveram oportunidade de testar o conhecimento gerado.

O exemplo mais evidente corresponde a todas as atualizações que o INESC TEC tem vindo a desenvolver para os módulos da EFACEC desde há 20 anos. Mas existem outros exemplos, tais como a primeira cidade inteligente de Portugal, Évora, em 2007 (projeto INOVGRID), o desenvolvimento de um sistema de gestão de redes de baixa tensão, em 2013 (projeto SCADA BT), ou o desenvolvimento de um módulo de estimação de estado para sistemas trifásicos desequilibrados, em 2014 (projeto 3PHASE), ou até mesmo a contribuição que a EFACEC deu ao INESC TEC aquando da criação do Laboratório de Redes Elétricas e Veículos elétricos do INESC TEC (projeto REIVE).

Centro de Controle e supervisão da EDP Distribuição

Os impactos

Os impactos

Em 1996, a área das redes de distribuição representava cerca de 2M€/ano para a EFACEC. 20 anos depois o DMS (Sistema de Gestão de Redes de Distribuição) já representa cerca de 30M€. 

Desde 1996 foram dezenas as teses de mestrado, doutoramento, publicações científicas e serviços de consultoria prestados.

A parceria INESC TEC e EFACEC é um exemplo de colaboração frutuosa entre a indústria e um instituto de investigação, permitindo à primeira obter vantagens competitivas no mercado deste tipo de sistemas e ao segundo aplicar o seu know-how, encontrar novos desafios e obter financiamento para sua atividade.

Atualmente a EFACEC exporta soluções desenvolvidas pelo INESC TEC para países como a Argélia, Tunísia, Brasil, Moçambique, Suíça (CERN), Grécia ou Roménia, para além da comercialização em território nacional, através da EDP Distribuição ou da EDA.

Sistema de Controle de supervisão instalado na Tunísia nos anos 90

O Futuro

Mas a história não termina aqui…

O INESC TEC está envolvido em vários projetos com a EFACEC, tais como o ADMS4LV (Sistema de Gestão de Distribuição Avançado para a rede de baixa tensão) ou o NEXTSTEP (NEXT distribution SubsTation improvEd Platform), para além dos artigos e teses que estão a ser desenvolvidos nesta área, mas essas já são outras histórias…

Salas de Controle e supervisão da Bandeirante (Brasil)