Cookies
Usamos cookies para melhorar nosso site e a sua experiência. Ao continuar a navegar no site, você aceita a nossa política de cookies. Ver mais
Fechar
  • Menu
Artigo

SafeCloud ajuda na segurança e proteção de dados na cloud

Foi no dia 27 de setembro que teve lugar a terceira e última avaliação pela Comissão Europeia do projeto SafeCloud, um trabalho liderado pelo Laboratório de Software Confiável (HASLab) do INESC TEC. Com um investimento de mais de três milhões de euros, este projeto foca a área das infraestruturas na cloud, que, apesar das suas vantagens, apresentam ainda vários desafios de segurança, privacidade e integridade no armazenamento e processamento de dados.

04 outubro 2018

O principal objetivo do projeto é desenvolver soluções concretas que garantam aos utilizadores de serviços de computação em nuvem que, tanto o armazenamento dos seus dados, como o seu processamento, é feito de forma completamente segura e privada.

A importância atual da proteção de dados pessoais

“Existem ainda inúmeras falhas nas propostas dos fornecedores de computação em nuvem que não permitem garantir a segurança, privacidade, integridade dos dados na nuvem de milhões de clientes e é esse o problema que queremos colmatar”, explica Rui Oliveira, administrador do INESC TEC e responsável pelo projeto.

Desde 2015 que o projeto SafeCloud - Secure and Resilient Cloud Architecture, procura resposta a estes desafios, descobrindo formas de assegurar que as tarefas de transmissão, armazenamento e processamento de dados são divididas por diferentes domínios que não conluiem, o que torna a exposição dos dados na cloud mais segura.

“Um dos maiores problemas das atuais soluções de computação em nuvem deve-se ao facto dos dados dos clientes serem processados e armazenados por uma entidade externa única, a qual não é controlável, estando, muitas vezes, fora do controlo jurídico dos clientes.”, acrescenta Rui Oliveira.

Uma história de sucesso para a Comissão Europeia

Em maio de 2017, a Comissão Europeia escolheu o projeto europeu SafeCloud para dar a cara a uma história de sucesso. O artigo está disponível no site da Comissão Europeia, identificado na categoria sociedade e tecnologia da informação, e apresenta o projeto que pretende tornar as infraestruturas e os serviços de cloud seguros.

 

A criação de uma start-up

No âmbito do projeto SafeCloud, e no sentido de explorar comercialmente resultados-chave do projeto, nasceu a SafeCloud Technologies Sàrl, uma spin-off do INESC TEC, que conta com mais de 15 anos de experiência em sistemas de gestão de bases de dados, cloud computing e tecnologias de privacidade e proteção de dados dos seus promotores.

A SafeCloud Technologies Sàrl pretende fornecer uma plataforma de gestão de dados de nova geração. Seguindo uma abordagem pragmática onde a proteção de dados está no centro do desenho tecnológico, a SafeCloud Technologies oferece um alargado leque de soluções, que vai desde aplicações para consumidores finais a sistemas integrados de armazenamento e processamento dados para empresas, tais como bancos, hospitais e retalhistas, no fundo, todo o tipo de empresas que tenham dados sensíveis e que, por isso, precisem de garantir a máxima segurança e privacidade. A SafeCloud Technologies procura oferecer diferentes compromissos entre funcionalidade, privacidade de dados, performance e escalabilidade, abrangendo uma ampla variedade de requisitos e oferecendo soluções à medida de cada cliente.

Esta start-up esteve, inclusivamente, presente pela segunda vez na última edição da Web Summit, evento tecnológico que ocorreu em Lisboa, de 6 a 9 de novembro de 2017, e foi considerada pelo jornal Observador como uma das cinco ideias mais interessantes em apresentação.

 app safecloud

O desenvolvimento de uma app de fotografias

A SafeCloud Photos, uma das soluções apresentada pelo projeto, foi lançada gratuitamente para o mercado em setembro de 2016. Trata-se de uma aplicação móvel de fotografias que tem como principal fator diferenciador o modo como guarda as fotos na cloud. Esta app consegue, por cada foto guardada pelo utilizador, produzir dois ou mais pedaços de informação que espalha por serviços diferentes de armazenamento online, tornando os dados invioláveis.

“Cada um dos pedaços em que a fotografia fica dividida não revela absolutamente nenhuma informação sobre a foto, que só pode ser acedida nos nossos dispositivos, pois apenas estes têm acesso simultâneo a todos os pedaços. Não existe, neste momento, nenhuma aplicação no mercado que ofereça o mesmo nível de segurança oferecido pela SafeCloud Photos”, explica Francisco Maia, investigador do HASLab e CEO da SafeCloud Technologies.

De acordo com o investigador, apesar do foco principal da app ser a privacidade, a aplicação de fotografia pretende ser muito completa, permitindo ao utilizador beneficiar de uma privacidade elevada sem ter de abdicar das facilidades já oferecidas por outras aplicações no mercado.

 

A utilização piloto na área da saúde

Na sequência deste trabalho de procura por novas soluções de proteção de dados, a Maxdata, uma das empresas que integra o consórcio do SafeCloud e que desenvolve soluções informáticas na área da saúde, integrou no seu novo software CLINIdATA um piloto experimental da aplicação SafeCloud Database, desenvolvido pelo INESC TEC e pela start-up SafeCloud Technologies.

O CLINIdATA é um sistema inteligente de gestão de laboratórios de análises clínicas e de diagnóstico, pelo que este piloto garante que todo o processamento e armazenamento dos dados, neste caso os dados clínicos, é efetuado de forma segura, não revelando qualquer informação sensível, pessoal, ou de negócio a terceiros.

Esta aplicação prática do trabalho desenvolvido no âmbito do projeto SafeCloud na área da saúde é a última fase do projeto, que coloca o utilizador final em contacto com a tecnologia. Mais de 100 profissionais da área da saúde foram convidados a utilizar e avaliar esta versão experimental do software.

Os resultados deste piloto comprovaram que as funcionalidades de segurança e fiabilidade incorporadas no SafeCloud Database são uma mais-valia para o software de análise clínica, ainda que seja necessário ter em conta que estamos perante versões preliminares da tecnologia e, como tal, com margem para melhoria no que diz respeito ao desempenho do sistema.

 

Balanço final

De acordo com Rui Oliveira, o projeto SafeCloud foi um sucesso em todos os sentidos. Contou com uma equipa muito competente e coesa que, nas palavras de um dos avaliadores, “satisfez todos os critérios com um desempenho excelente”. Afirma ainda que o projeto deixa um conjunto de resultados em fase de pré-exploração comercial e um considerável leque de desafios científicos e tecnológicos para serem perseguidos. Ao INESC TEC, em particular, trouxe conhecimento e experiência inestimável perante os desafios que se deparam ao nível da cibersegurança. 

 equipa safecloud

Equipa e Consórcio

A equipa do HASLab a trabalhar no projeto SafeCloud contou com os seguintes investigadores: Rui Oliveira, também administrador do INESC TEC, Manuel Barbosa, Maria João Frade, Paulo Sérgio Almeida, José Manuel Valença, José Bernardo Barros, António Nestor Ribeiro, Vítor Fonte, Francisco Moura, João Tiago Paulo e, ainda, com Paula Rodrigues. Além do HASLab, o Centro de Inovação, Tecnologia e Empreendedorismo (CITE) do INESC TEC também esteve envolvido no projeto, contando com a participação de João Claro, investigador do Centro e também administrador do INESC TEC.

Além do INESC TEC, os parceiros deste projeto europeu incluíram a Université de Neuchatel (Suíça), Technische Universität München e Cloud & Heat GMBH (Alemanha), Cybernetica AS (Estónia), INESC-ID e Maxdata Software (Portugal).

O projeto SafeCloud foi desenvolvido no âmbito do programa de investigação e desenvolvimento da União Europeia Horizonte 2020, com um orçamento total de €3,298,988.

 

Os investigadores do INESC TEC mencionados na notícia têm vínculo ao INESC TEC, à UMinho e à UP-FEUP e à UP-FCUP.