Cookies
Usamos cookies para melhorar nosso site e a sua experiência. Ao continuar a navegar no site, você aceita a nossa política de cookies. Ver mais
Aceitar Rejeitar
  • Menu
Artigo

Novo projeto para gerir recursos em ambiente indoor

Criar modelos para gestão interna de bens, equipamentos e processos das organizações. É este o objetivo principal do projeto WHERE.IS, desenvolvido pelo Centro de Telecomunicações e Multimédia (CTM) do INESC TEC.

10 abril 2018


No contexto de organizações cada vez mais dispersas e complexas na gestão dos seus ativos móveis, cresce a necessidade de dispor de soluções de gestão de informação que contribuam para a otimização de recursos e redução de desperdícios e/ou ineficiências de processo, particularmente através do conhecimento da localização dos ativos.

Por sua vez, no âmbito da massificação em curso da Internet das Coisas (IoT), onde o paradigma assenta na comunicação com "as coisas", obtendo informação ou atuando sobre elas, o objetivo do projeto WHERE.IS é desenvolver tecnologia de comunicações e localização adequada a ambientes indoor, tendo como base tecnologia IoT.

Os principais desafios passam pelo número e variedade dos objetos (i.e., "as coisas"); consumo e autonomia dos dispositivos de localização; e complexidade, área e dinamismo do ambiente indoor.

A nova tecnologia contribuirá para o desenvolvimento de novos paradigmas sobre os modelos dominantes de gestão de bens, equipamentos e processos de organizações de natureza variada, incluindo indústria, espaços culturais e unidades de saúde.

Além da empresa Wavecom e do INESC TEC, o Hospital de Braga e a Casa da Música são parceiros do projeto na qualidade de utilizadores finais. Os dois vão acompanhar o desenrolar do projeto, fornecendo os requisitos específicos que a solução deve cumprir no âmbito dos dois cenários de aplicação que representam, de forma a alinhar os desenvolvimentos tecnológicos do projeto com as necessidades do mercado.

Este projeto é financiado pelo Portugal 2020 e tem a duração de 24 meses. Os investigadores envolvidos são Luís Pessoa, Henrique Salgado, Cândido Duarte, Rui Campos, Manuel Ricardo e Mário Lopes.

Os investigadores mencionados na notícia têm vínculo ao INESC TEC e à UP-FEUP.