Cookies
Usamos cookies para melhorar nosso site e a sua experiência. Ao continuar a navegar no site, você aceita a nossa política de cookies. Ver mais
Aceitar Rejeitar
  • Menu
Artigo

INESC TEC vai desenvolver robô para reduzir uso de pesticidas em vinhas

O Centro de Robótica Industrial e Sistemas Inteligentes (CRIIS) do INESC TEC vai desenvolver um robô inovador para realizar o controlo e manutenção da vegetação na linha e entre linha da vinha/olival, que posteriormente será testado num piloto de larga escala temporal. O piloto faz parte do projeto europeu NOVATERRA, que pretende garantir uma maior segurança alimentar, promovendo o acesso a alimentos saudáveis e minimizando o impacto do uso de pesticidas no ambiente.

03 fevereiro 2021

Este piloto será realizado em duas áreas vitivinícolas da Península Ibérica, propriedades das empresas Sogrape Vinhos S.A. e da Terras Gauda. “O uso de robôs com alfaias inovadoras - no controlo e manutenção da vegetação na linha e entre linha da vinha/olival – permitirá reduzir o uso de produtos fitofarmacêuticos, reduzir a compactação do solo, promover uma melhor qualidade do solo, aumentar a disponibilidade de recursos existentes nas quintas para outras operações relevantes, e fomentar os enrelvamentos das vinhas com claros benefícios para a vinha e atividades de turismo”, explica Filipe Neves dos Santos, investigador do CRIIS.

Através de uma série de casos de estudos em contexto de olivais e vinhas na região do Mediterrâneo, o projeto NOVATERRA visa desenvolver e testar um conjunto de estratégias integradas e sustentáveis, e de técnicas economicamente viáveis, para diferentes sistemas de cultivo, por forma a eliminar ou reduzir significativamente o uso e o impacto negativo de produtos fitofarmacêuticos (também conhecidos como pesticidas).

As soluções previstas serão alinhadas com as necessidades atuais do mercado e dos consumidores, a legislação europeia atual e futura, bem como com as diversas capacidades de investimento dos agricultores e produtores nas regiões mediterrânicas.

O NOVATERRA “(Integrated novel strategies for reducing the use and impact of pesticides, towards sustainable mediterranean vineyards and olive groves”) irá ser adaptado a diferentes regiões edafoclimáticas, permitindo aos agricultores melhorar as suas estratégias de gestão integrada de pragas, para proteger as vinhas contra o míldio e o oídio, a podridão cinzenta e a traça da uva, bem como proteger os olivais contra a olho de pavão, a mosca da fruta, a traça da oliveira e da cochonilha negra.

O consórcio NOVATERRA, liderado pelos espanhóis do Institut de Recerca i Tecnologia Agroalimentaries (IRTA), é constituído por 19 entidades, incluindo especialistas de seis países (Espanha, Portugal, França, Itália, Grécia e Bélgica) com diferentes perfis, que irão criar, desenvolver, testar e explorar as diferentes soluções. Em Portugal fazem parte do consórcio o INESC TEC, o Instituto Politécnico de Bragança, a APPITAD - Associação Dos Produtores em Proteção Integrada de Trás-os-Montes e Alto Douro, e a Sogrape Vinhos.

O projeto NOVATERRA é financiado no âmbito do Horizonte 2020 da Comissão Europeia no valor de 4.884M€, ao abrigo do acordo número 101000554. O financiamento total do projeto é de 5.507M€.

O investigador do INESC TEC mencionado na notícia tem vínculo ao INESC TEC.