Cookies
Usamos cookies para melhorar nosso site e a sua experiência. Ao continuar a navegar no site, você aceita a nossa política de cookies. Ver mais
Aceitar Rejeitar
  • Menu
Artigo

INESC TEC testa com sucesso robô para explorar minas inundadas

Foi no início de abril que o robô desenvolvido no âmbito do projeto europeu UNEXMIN foi testado com sucesso na antiga mina de urânio da Urgeiriça (Nelas, Viseu).

02 maio 2019

Financiado pelo programa Horizonte 2020 da União Europeia, o projeto que desenvolveu uma plataforma robótica autónoma para investigar e mapear minas subterrâneas inundadas, juntou 12 organizações de sete países.

Sobre o UNEXMIN

O UNEXMIN inclui o desenvolvimento de três robôs para fazer mapeamentos 3D e obter dados geológicos que não podem ser obtidos de outra forma sem incorrer em custos elevados ou com outros riscos associados, é o caso de riscos humanos caso se utilizem mergulhadores para a investigação ou recolha de dados nas minas. Em Portugal, são parceiros deste projeto o INESC TEC e a Empresa de Desenvolvimento Mineiro (EDM).

“Existem na Europa cerca de 30 mil minas fechadas, muitas das quais ainda contêm recursos minerais importantes e passíveis de serem explorados. Muitas destas minas estão agora inundadas, o que torna a sua prospeção e avaliação um processo difícil. Neste momento existe falta de informação sobre o seu estado atual devido aos elevados custos monetários e perigo, envolvidos nos atuais métodos, e é por isso que soluções como a que desenvolvemos no âmbito do UNEXMIN podem fazer a diferença”, explica Alfredo Martins, investigador do Centro de Robótica e Sistemas Autónomos (CRAS) do INESC TEC.

A tecnologia UNEXMIN representa uma nova era no apoio à prospeção mineira: robôs que podem operar de forma autónoma nestes ambientes – os robôs UX-1 são os primeiros deste tipo. Neste momento, a plataforma UNEXMIN conta já com dois robôs e com um terceiro a caminho.

Os testes

O primeiro protótipo e a tecnologia em si já foram testados nas minas de Kaatiala, Finlândia, em junho de 2018, e de Idrija, Eslovénia, em setembro do mesmo ano, com resultados positivos: robô operacional e áreas inundadas mapeadas.

O terceiro teste decorreu no início do mês de abril na antiga mina da Urgeiriça. Os robôs foram testados nas águas subterrâneas da antiga mina de urânio. Os testes foram bem-sucedidos e, por isso, foi possível investigar, recolher imagens e criar mapas as galerias e túneis inundados, com especial enfoque na autonomia e no mapeamento, provando assim o funcionamento da plataforma robótica numa mina de características diferentes das outras.

O papel do INESC TEC

Para além do projeto e da arquitetura global do sistema e do robô, o INESC TEC é também responsável pelo software de navegação, perceção e mapeamento. A vasta experiência da equipa do INESC TEC no desenvolvimento de robôs subaquáticos e sistemas autónomos permitiu também a sua escolha como o parceiro responsável pela tarefa de integração global dos robôs.

Para além disto, o INESC TEC desenvolveu um sensor de mapeamento subaquático inovador baseado em luz estruturada que, integrado nos robôs do UNEXMIN, possibilita o mapeamento com precisão milimétrica em situações em que a visibilidade da água o permite.

unexmin - urgeiriça

O futuro

O desenvolvimento da plataforma UNEXMIN permitirá abrir novos cenários para a prospeção de minerais essenciais para o desenvolvimento de várias indústrias. A plataforma UNEXMIN poderá assim contribuir de forma decisiva para a avaliação de reabertura de minas outrora encerradas devido ao custo de exploração vs valorização da quantidade de minério existente.

A tecnologia disponível nos dias de hoje poderá ainda permitir, a baixo custo e baixo risco, fazer uma primeira avaliação da viabilidade destas minas, recolher dados sobre o seu estado e mapear artefactos com interesse histórico que possam ter ficado abandonados.

Com UNEXMIN cria-se a oportunidade estratégica de reabertura de minas inundadas na Europa, muitas das quais ainda com significativo teor de matérias-primas minerais criticas, que podem ser exploradas beneficiando a economia portuguesa e europeia.

O projeto UNEXMIN termina em outubro de 2019. Já foi criada uma spin-off para a prestação de serviços em minas inundadas utilizando os robôs desenvolvidos no âmbito do projeto.

unexmin- urgeiriça

Coordenado pela Universidade de Miskolc (Hungria), o projeto UNEXMIN, para além do INESC TEC e da EDM em Portugal, contou ainda com os seguintes parceiros: Serviço Geológico da Eslovénia, Universidade de Tampere (Finlândia), Universidade Politécnica de Madrid (Espanha), La Palma Research Centre (Espanha), Resources Computing International (Reino Unido), Ecton Mine Educational Trust (Reino Unido), Federação Europeia de Geólogos (França), Geo-Montan (Hungria) e Idrija Mercury Heritage Management Centre (Eslovénia).

Os investigadores do INESC TEC que participam no projeto UNEXMIN são: Alfredo Martins, José Miguel Almeida, Eduardo Silva, Carlos Almeida, Ricardo Pereira, Eduardo Soares, Denys Sytnyk, Bruno Matias, Tiago Pereira, António Ferreira e Diana Viegas.

 

Os investigadores do INESC TEC mencionados na notícia têm vínculo ao INESC TEC e ao P.Porto-ISEP.