Cookies
Usamos cookies para melhorar nosso site e a sua experiência. Ao continuar a navegar no site, você aceita a nossa política de cookies. Ver mais
Fechar
  • Menu
Artigo

INESC TEC é a instituição portuguesa de I&D com mais pedidos de patentes na Europa

Pelo terceiro ano consecutivo, o INESC TEC está no top 5 das entidades nacionais com mais pedidos de patentes submetidos ao European Patent Office (Instituto Europeu de Patentes). De acordo com dados anunciados pelo EPO, em 2019 o INESC TEC submeteu sete pedidos de patente.

12 maio 2020

A maior parte dos pedidos foram feitos nas áreas de inteligência artificial e tecnologias digitais, o que vai ao encontro dos dados globais anunciados pelo EPO. Tecnologia médica, telecomunicações e tecnologias de medição são as restantes áreas tecnológicas nas quais o INESC TEC desenvolveu tecnologias que procurou proteger por patente na Europa em 2019.

Segundo os dados divulgados pelo EPO, no ano passado, as instituições de investigação e universidades portuguesas apresentaram um total 272 pedidos de patente, o valor mais alto de sempre, após 221 solicitações feitas no período homólogo anterior.

Entre as principais entidades requerentes portuguesas estavam, no ano passado, a companhia Delta Cafés, do grupo Nabeiro, e a Universidade de Évora, ambas com 16 pedidos cada uma. Completam o top cinco a Associação para o Avanço da Engenharia de Tecidos e Tecnologias e Terapias Baseadas em Células (A4TEC, na sigla inglesa), com 15 pedidos, bem como o Modelo Continente Hipermercados, do grupo Sonae, com 10 pedidos e o INESC TEC, com sete pedidos.

Pedidos de patentes a nível nacional

Já o Relatório Estatístico Anual 2019 do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) dá conta de um total de dois pedidos nacionais submetidos em 2019, número que, de acordo com o Serviço de Apoio ao Licenciamento (SAL) se justifica com “um reforço da aposta na internacionalização”.

No panorama nacional, e de acordo com o relatório, os pedidos provisórios de patente registaram um crescimento em relação ao período homólogo (de 518 para 569), continuando a representar uma percentagem significativa (59,0%) face ao volume total de pedidos.