Cookies
Usamos cookies para melhorar nosso site e a sua experiência. Ao continuar a navegar no site, você aceita a nossa política de cookies. Ver mais
Aceitar Rejeitar
  • Menu
Artigo

Spin-off INESC TEC reconhecida como uma das mais promissoras do mundo em saúde digital

A iLoF – Intelligent on Fiber, uma spin-off da Universidade  do Porto nascida no INESC TEC e atualmente incubada na Faculdade de Medicina (FMUP), está entre as 150 startups mais promissoras a nível mundial na área da saúde digital, de acordo com a lista fornecida pela CB Insights, empresa Norte-Americana especializada em análise de negócios.

31 agosto 2020

A iLoF, que está a ser acelerada na Oxford Foundry, pertencente à Universidade de Oxford, foi selecionada entre um conjunto de cerca de 8 mil startups e é a única com ADN Português nesta listagem, dominada por empresas norte-americanas (77%).

Para chegar a esta lista anual a CB Insights recolheu vários dados, entre os quais o perfil de investidor, potencial de mercado, análise da equipa e novidade tecnológica.

“É uma honra estar entre as 150 empresas mais inovadoras e disruptivas a nível mundial na área da saúde digital. A lista da CB Insights é regularmente reconhecida como uma das fontes mais fiáveis sobre tendências e empresas, sendo mais um passo na nossa missão de viabilizar uma nova era da medicina personalizada, ajudando a indústria a desenvolver, escolher e democratizar tratamentos personalizados para pacientes em todo o mundo”, afirma Luís Valente CEO da iLoF, que está.

A iLoF tem vindo a destacar-se internacionalmente pelo desenvolvimento de uma tecnologia patenteada de deteção de nanoestruturas em fluídos. Através de uma plataforma virtual, a spin-off digitaliza e armazena perfis biológicos de pacientes e biomarcadores de doença.

Recorde-se que em julho a spin-off assinou, nos Estados Unidos da América (EUA), um acordo de financiamento com o fundo M12 da Microsoft e com a Mayfield no valor de 1 milhão de dólares, para intervir em três áreas: Alzheimer, cancro e COVID-19; e, no final de 2019, recebeu um financiamento de 2 milhões de euros no âmbito de um programa de aceleração do EIT Health – o maior consórcio da área da saúde no Mundo – para projetos disruptivos na área da saúde.