Cookies
Usamos cookies para melhorar nosso site e a sua experiência. Ao continuar a navegar no site, você aceita a nossa política de cookies. Ver mais
Fechar
  • Menu
Artigo

Ministro inglês vem ao INESC TEC discutir investigação e indústrias do futuro

Greg Clark, Ministro do Comércio, Energia e Estratégia Industrial do Reino Unido, esteve no INESC TEC à procura de competências científicas e de engenharia, não só do ponto de vista de ciência fundamental, mas também para apoiar na criação de startups.

30 novembro 2018

Responsável pelo desenvolvimento da política económica do Reino Unido, cujo expoente se encontra descrito na estratégia industrial, o ministro britânico está focado em áreas consideradas essenciais no curto-médio prazo para o Governo inglês, nas quais se encontra a inteligência artificial e o big data. As restantes áreas incidem no envelhecimento da sociedade, crescimento sustentável e o futuro da mobilidade.

Tendo em conta as prioridades do ministro, assim como a sua anterior experiência com a pasta da ciência, foi mostrado interesse por parte do governo britânico em conhecer o INESC TEC e as suas competências em diversos campos de mútuo interesse para ambos os países.

Os objetivos da visita

O ministro inglês afirmou durante a visita, que se realizou no dia 23 de novembro, que a aposta na criação de startups faz parte da estratégia industrial do Reino Unido e que, por saber do trabalho feito pelo INESC TEC nessa área, considerou uma boa oportunidade para estreitar relações com a instituição. Desde 1989, o INESC TEC já lançou no mercado 19 spinoffs.

“A transferência de tecnologia para o mercado é um dos motes da nossa instituição. Só em 2018 já lançámos para o mercado quatro spinoffs, a SafeCloud Technologies, a Ubirider, a iHandU e a WeSENSS. Estes números mostram claramente a nossa estratégia nesta área”, explica José Manuel Mendonça, presidente do conselho de administração do INESC TEC.

De acordo com o ministro britânico, “O INESC TEC tem uma excelente reputação no Reino Unido e foi, por isso, que quis vir conhecer uma instituição que tem uma agenda muito semelhante ao Reino Unido, no que diz respeito ao reposicionamento das indústrias do futuro, não só através da investigação, mas também através de aplicações e criação de startups”.

 

A visita começou por dar a conhecer o Laboratório de Redes Elétricas Inteligentes e Veículos Elétricos do INESC TEC, seguindo-se de uma reunião à porta fechada.

Estiveram presentes, para além do Ministro Greg Clark, Christopher Sainty, o embaixador britânico em Portugal, Tim Figures, assessor do ministro e Hugo Marques, Head of Economics and Prosperity, da parte do Governo Britânico. No que diz respeito às instituições portuguesas, para além do presidente do INESC TEC José Manuel Mendonça e dos administradores da instituição José Carlos Caldeira, Rui Oliveira e Luís Seca, estiveram também presentes António Ferreira, membro do conselho executivo da FEUP, Luís Miguel Pinho, pró-presidente do Instituto Politécnico do Porto, Clara Gonçalves, diretora executiva do UPTEC, Paulo Santos, CEO da Ubirider e João Paulo Cunha, CEO da iHandU.

Greg Clark impressionado com a multidisciplinariedade existente na instituição

Apesar de já ter conhecimento do INESC TEC, o Ministro britânico não escondeu que ficou impressionado com o que viu e ouviu. 

“Fiquei muito impressionado com o grau de colaboração entre disciplinas, entre instituições, entre os diferentes níveis de investigação – desde a investigação científica pura às aplicações na indústria. Esta é uma verdadeira potência, com uma série de departamentos e equipas a trabalhar em conjunto para que o todo seja superior à soma das partes”, afirmou o Ministro do Comércio, Energia e Estratégia Industrial do Reino Unido no final da visita.

As parceiras do INESC TEC com instituições do Reino Unido

O INESC TEC já estabeleceu ao longo dos anos parcerias com mais de 60 instituições britânicas em várias áreas de competências, desde as telecomunicações e multimédia, à transferência de tecnologia, informática, energia ou inteligência artificial. Estas parcerias foram formalizadas de diferentes formas, sejam através de colaboração em projetos europeus, à prestação direta de serviços ou, até mesmo, na publicação de artigos científicos. Entre algumas das entidades do Reino Unido com quem o INESC TEC já estabeleceu parcerias encontram-se a BBC, Fujitsu, General Electric ou o Imperial College London.

  

Os investigadores do INESC TEC mencionados na notícia têm vínculo à UP-FEUP, U.Minho e  IPP-ISEP.