Cookies
Usamos cookies para melhorar nosso site e a sua experiência. Ao continuar a navegar no site, você aceita a nossa política de cookies. Ver mais
Aceitar Rejeitar
  • Menu
Artigo

Investigador recebe menção honrosa de melhor artigo em conferência internacional

Vítor Tinoco teve uma menção honrosa no seu artigo, atribuída pela revista Industrial Robot. O trabalho do investigador incide-se na área de robótica e agricultura.  

01 junho 2021

A premiação, ocorrida no âmbito da Conferência ICARSC’2021 – IEEE International Conference on Autonomous Robot Systems and Competitions, destacou o trabalho publicado no fim de abril. O estudo em questão “A Review of Pruning and Harvesting Manipulators” é uma revisão sistemática de manipuladores robóticos que são utilizados na agricultura para a apanha de frutas ou poda de plantas. O trabalho reúne informação sobre os instrumentos, bem como os diversos problemas inerentes a cada um.

“Quando falamos de um ambiente industrial, os objetos nos quais os robôs pegam têm todos o mesmo tamanho, têm todos a mesma forma. São sempre os mesmos, estão programados. Já num ambiente de agricultura, nunca temos objetos iguais. E a força necessária para pegar num fruto e recolhê-lo sem danificar a planta tem que ser estudada. O mesmo acontece na poda – a força para mover o ramo tem que ser precisa. Este é um desafio por resolver,” explica o investigador, que é também estudante de doutoramento em Engenharia Eletrotécnica e de Computadores na UTAD.

Uma das soluções a estudar passa pela utilização de inteligência artificial de forma a que os manipuladores reconheçam e detetem frutos e ramos para a poda. Visão por computadores pode ainda auxiliar robôs a estimar a posição em que têm que se colocar de forma a colher um fruto sem o danificar.

Ainda que os critérios não sejam divulgados pela equipa organizadora da conferência, Vítor Tinoco estima que a qualidade de escrita e estrutura estejam no cerne da premiação. As conjugações da robótica à agricultura inspiram o investigador a desenvolver soluções futuras que possam mudar o paradigma da agricultura.

“Há cada vez mais pessoas no planeta para alimentar, mas há cada vez menos mão-de-obra na área da agricultura. E essa mão de obra está cada vez mais cara. Este é um dos problemas que este tipo de projetos tenta resolver,” conclui.

O investigador mencionado na notícia tem vínculo ao INESC TEC.