Cookies
O website necessita de alguns cookies e outros recursos semelhantes para funcionar. Caso o permita, o INESC TEC irá utilizar cookies para recolher dados sobre as suas visitas, contribuindo, assim, para estatísticas agregadas que permitem melhorar o nosso serviço. Ver mais
Aceitar Rejeitar
  • Menu
Artigo

Investigação INESC TEC e ISEP inova acesso a arquivos de cinema

A investigação desenvolvida no âmbito do projeto CHIC pretende tornar acessível ao público e à sociedade em geral uma fonte importante de informação com valor cultural e histórico. Ao propor um conjunto de ferramentas que permitem o acesso intuitivo a arquivos de cinema, a solução desenvolvida pretende transformar o atual cenário em que estes arquivos são depósitos de conteúdos apenas acessíveis a técnicos especializados.

28 abril 2021

Em concreto, o projeto dedicou-se ao desenvolvimento de novos paradigmas no acesso a grandes arquivos de cinema, permitindo vistas mais intuitivas do conteúdo dos arquivos e ultrapassando, assim, as limitações associadas às típicas listas extensas de resultados, aumentando a experiência de utilização.

Esta nova abordagem permite expor relações entre conteúdos, recorrendo a técnicas de visualização de grandes quantidades de dados (big data visualization). A apresentação dos conteúdos numa rede de ligações permite, por exemplo, que uma potencial relação entre filmes possa ser identificada e tornada visível pelo facto de partilharem algum elemento em comum como, por exemplo, um ator, o realizador, as características técnicas, etc. Uma outra vista que enriquece também o acesso aos arquivos é a criação de grupos de filmes pelo facto de partilharem uma característica como, por exemplo, o género dos mesmos.

Para além desta forma de visualização do arquivo como um todo, o projeto explora também o conceito de cinemétricas (cinema metrics) para criar novas abordagens de visualização dos conteúdos individuais, criando sumários dos filmes, isto é, video abstracts, que exploram as suas características visuais, nomeadamente, a gama ou palete de cores, o movimento, a estrutura do filme, entre outras. Desta forma, a solução permite a identificação rápida de algumas características que tornam visível um possível estilo que resulta de decisões criativas tomadas pelo realizador.

Importa referir que esta forma de visualização vai potenciar, por exemplo, estudos na área do cinema, permitindo identificar semelhança de estilos entre filmes ou realizadores através da análise das cinemétricas. Os resultados deste projeto representam “uma mudança importante de paradigma na gestão e acesso a espólios de cinema, expondo informação que de outra forma não seria visível”, refere Paula Viana.

A equipa de investigadores do Centro de Telecomunicações e Multimédia (CTM) do INESC TEC e do ISEP contou com Paula Viana, Inês Teixeira, José Pedro Pinto, Filipe Chen e Bruno Pinto. A Cinemateca foi também um dos parceiros da atividade B1 do projeto CHIC.

Os investigadores do INESC TEC mencionados na notícia têm vínculo ao INESC TEC e IPP-ISEP.