Cookies
Usamos cookies para melhorar nosso site e a sua experiência. Ao continuar a navegar no site, você aceita a nossa política de cookies. Ver mais
Fechar
  • Menu
Artigo

INESC TEC participa em projeto europeu para estudar fenómenos climáticos

O INESC TEC é a única instituição portuguesa a participar num consórcio europeu que tem por missão compreender os mecanismos que levam a alterações climáticas  súbitas. 

31 outubro 2019

O projeto chama-se TIPES (Tipping points in the earth system) e, em última análise, visa prever transições climáticas abruptas e alterações irreversíveis no sistema terrestre.

O degelo da Antártida, perturbações nas monções, alterações nas correntes do oceano Atlântico, redução do gelo no Ártico e secas extremas são exemplos de acontecimentos climáticos com potencial de causar um efeito dominó e uma cascata de mudanças dramáticas no ambiente. Compreender os mecanismos que levam a estes eventos é, por isso, de crucial importância.

Para isso, o INESC TEC, em conjunto com mais 17 instituições europeias de 10 países europeus, participa no projeto TiPES, orçado em oito milhões de euros, onde um conjunto muito diversificado de especialistas – desde matemáticos, físicos, climatologistas a cientistas de dados – trabalha para melhorar o conhecimento sobre os riscos climáticos e a fiabilidade das previsões.

Ao INESC TEC cabe a tarefa de «analisar séries temporais paleoclimáticas (séries temporais de indicadores de climas muito antigos) para a identificação de sinais de aviso de transições climáticas abruptas», explicou Susana Barbosa, investigadora do Centro de Sistemas de Informação e de Computação Gráfica (CSIG).

Como resultado do trabalho desenvolvido pelo consórcio, espera-se que, em 2023, o projeto produza informação que suporte as avaliações internacionais sobre o clima, designadamente as produzidas pelo Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas das Nações Unidas (IPCC), e ajude os decisores com responsabilidades na definição de políticas públicas relevantes para o clima terrestre.

O projeto TIPES recebeu financiamento do programa de investigação e inovação Horizonte 2020 da União Europeia ao abrigo do acordo número 820970.

A investigadora mencionada na notícia tem vínculo ao INESC TEC.