Cookies
Usamos cookies para melhorar nosso site e a sua experiência. Ao continuar a navegar no site, você aceita a nossa política de cookies. Ver mais
Aceitar Rejeitar
  • Menu
Artigo

INESC TEC desenvolve algoritmos de inteligência artificial para apoiar diagnóstico médico

O projeto TAMI (Transparent Artificial Medical Intelligence), liderado pela First Solutions e com a participação do INESC TEC através do Centro de Telecomunicações e Multimédia (CTM) e do Centro de Investigação em Engenharia Biomédica (C-BER), tem como objetivo tornar o diagnóstico médico apoiado por inteligência artificial (IA) mais claro e confiável.

06 agosto 2020

A inteligência artificial está a ser aplicada no setor da saúde, com benefícios ao nível do tratamento de dados, apoio ao diagnóstico médico e identificação dos melhores tratamentos. À medida que aumenta a introdução da IA na saúde, aumenta também a necessidade de tornar esta tecnologia mais transparente e acessível a médicos e pacientes, aumentando a confiabilidade do diagnóstico médico.

Neste sentido, o projeto TAMI vai desenvolver um conjunto de ferramentas de apoio à decisão médica, baseado em algoritmos de inteligência artificial, que explicam ao clínico e ao paciente o diagnóstico de determinada doença e a sua causa.

Estas explicações podem ser visuais (identificando as áreas da imagem que lhe permitiram tirar essa conclusão ou diagnosticar determinada doença); ou textuais (através de um conceito ou frase que faça sentido para o ser humano).

Segundo a First Solutions, “estas ferramentas oferecem várias vantagens. Por um lado, vão apoiar o médico na tomada de decisão. Por outro, vão contribuir para uma melhor aceitação destas soluções de sugestões pelas equipas clínicas. Além disso, vão ajudar a identificar possíveis falhas e introduzir melhorias no sistema de apoio ao diagnóstico”.

Compreender o “porquê” para confiar e criar conhecimento

Este sistema pode também ajudar a determinar padrões de doenças, gerando novo conhecimento. Ao explicar como chegou a determinado diagnóstico, o sistema gera maior confiabilidade no médico e no doente.

“O projeto vai investigar novos métodos quantitativos para avaliar objetivamente e comparar diferentes explicações das decisões automáticas; métodos para gerar melhores explicações, proporcionando variedade nas explicações, adaptando as explicações a quem as irá utilizar e explicando as decisões multimodais; e ainda novas soluções de visualização para interpretações de decisões baseadas em dados imagiológicos”, explica Jaime Cardoso, coordenador do CTM, no INESC TEC.

O projeto é liderado pela First Solutions – Sistemas de Informação S.A., tem como parceiros o INESC TEC, Associação Fraunhofer Portugal Research, Administração Regional de Saúde do Norte, I.P. e a Carnegie Mellon University, dos EUA.

O projeto foi selecionado no âmbito da iniciativa “Go Portugal– Global Science and Technology Partnerships Portugal” no contexto do Programa CMU Portugal.  É financiado em 1. 791 M€ pelo Programa Operacional Norte, COMPETE2020, Fundação para a Ciência e a Tecnologia, empresas parceiras e a Carnegie Mellon University, através do Programa CMU Portugal.

O investigador do INESC TEC mencionado na notícia tem vínculo à UP-FEUP.