Cookies
O website necessita de alguns cookies e outros recursos semelhantes para funcionar. Caso o permita, o INESC TEC irá utilizar cookies para recolher dados sobre as suas visitas, contribuindo, assim, para estatísticas agregadas que permitem melhorar o nosso serviço. Ver mais
Aceitar Rejeitar
  • Menu
Artigo

INESC TEC com 10 novos projetos FCT, financiados em cerca de 1M€

A Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) aprovou dez projetos nacionais do Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC TEC), num valor estimado de um milhão de euros.

27 setembro 2021

Estes projetos vão desenvolver soluções tecnológicas em diferentes áreas de aplicação, que vão desde as redes de comunicação, à gestão de frotas de drones, a soluções sustentáveis para vinhas ou, até mesmo, para reduzir o desperdício no retalho alimentar.

Ao todo são 8 os centros de I&D do INESC TEC envolvidos nestes 10 projetos, são eles o Centro de Fotónica Aplicada (CAP), Centro de Investigação em Engenharia Biomédica (C-BER), Centro de Engenharia e Gestão Industrial (CEGI), Centro de Robótica Industrial e Sistemas Inteligentes (CRIIS), Centro de Sistemas de Informação e de Computação Gráfica (CSIG), Centro de Telecomunicações e Multimédia (CTM), Laboratório de Software Confiável (HASLAB) e o Laboratório de Inteligência Artificial e Apoio à Decisão (LIAAD).

O CAP vai trabalhar no projeto MyTag, cujo objetivo passa pela validação de uma nova abordagem para deteção de micro contaminantes químicos e biológicos. 

O C-BER viu aprovado o e-LOG para avaliar os impactos ambientais de diferentes estratégias de retalho e distribuição, levando em consideração a origem e o destino dos produtos, a sua natureza, e o sistema e modos de transporte.

O BeFresh, um projeto coordenado pelo CEGI, tem como objetivo combater o desperdício alimentar através de uma melhoria da eficiência operacional em toda a cadeia de valor. Este projeto contribui para três dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) que constam na Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU).

Esta ronda de financiamento vai ainda incluir o desenvolvimento de uma solução tecnológica para uma vinha economicamente eficiente e ecologicamente sustentável. O caso de estudo para este projeto será a região do Douro, mais vulnerável às alterações climáticas. Este trabalho vai ser desenvolvido pelo Centro de Robótica Industrial e Sistemas Inteligentes do INESC TEC no âmbito do projeto OmicBots.

O INESC TEC vai também desenvolver algoritmos de controlo e gestão de frotas de drones e algoritmos de extração de informação, com recurso a técnicas de inteligência artificial. Esta solução vai ajudar a prevenir e a combater incêndios, uma das catástrofes naturais mais graves em Portugal.  O trabalho será desenvolvido pelos investigadores do CSIG, numa parceria com o Instituto Politécnico de Leiria, no âmbito do projeto DBoidS.

O projeto CIRCUMSTANCE, cujo objetivo principal é demonstrar que o ADN microbiano pode ser utilizado para o diagnóstico precoce de cancro, é liderado pelo Instituto de Investigação e Inovação em Saúde (i3S), Universidade do Porto e que conta com a participação do Centro de Telecomunicações e Multimédia do INESC TEC, em parceria com o Centro Hospitalar Universitário de São João (CHUSJ). O sucesso deste projeto terá resultados muito importantes pois, ao detetar o cancro num paciente cuja doença se encontra num estadio inicial, é possível fazer uma intervenção terapêutica mais assertiva e, consequentemente, diminuir os custos com a saúde e o número de mortes relacionadas com a doença.