Cookies
O website necessita de alguns cookies e outros recursos semelhantes para funcionar. Caso o permita, o INESC TEC irá utilizar cookies para recolher dados sobre as suas visitas, contribuindo, assim, para estatísticas agregadas que permitem melhorar o nosso serviço. Ver mais
Aceitar Rejeitar
  • Menu
Artigo

INESC TEC analisa gestão de risco dos incêndios florestais a nível europeu

O projeto FIRELOGUE – Cross Sector Dialogue for Wildfire Risk Management – é o novo projeto europeu do INESC TEC e pretende promover iniciativas que tenham como objetivo promover a troca de conhecimento e melhores práticas com vista a reduzir o risco de incêndio.  

16 julho 2021

Com o FIRELOGUE, vai ser possível “promover o conhecimento integrado entre os diferentes agentes ligados ao problema dos incêndios florestais, de forma a permitir a adoção de diferentes abordagens, facilitando a troca das melhores práticas na gestão do risco de incêndio entre diferentes regiões da União Europeia”, refere Hugo Miguel Silva, investigador do Centro de Robótica e Sistemas Autónomos (CRAS) do INESC TEC.

O principal objetivo do projeto passa por promover a discussão através de fóruns e workshops, que levem à troca de ideias e conhecimento entre diferentes stakeholders ligados a problemática dos incêndios florestais. “O FIRELOGUE vai facilitar a troca de experiências e conhecimento entre os diferentes intervenientes no âmbito da gestão de risco dos incêndios florestais”, acrescenta Hugo Miguel Silva.

São 10 os países europeus representados neste projeto – Portugal, Alemanha, Espanha, Grécia, França, Reino Unido, Suíça, Áustria, Bélgica e Itália.

Com a duração de quatro anos, o projeto contará com a participação de 15 parceiros internacionais, dos quais o Fraunhofer, Pau Costa Foundation, NOA, KEMEA, ADAI – Universidade de Coimbra, EDGE, CTFC, IASA, UNISDR, CMCC, Univ Alcala, AISBL, Vost Portugal, Trilateral Research Uk e SAFE Cluster.

O FIRELOGUE é financiado pela Comissão Europeia em cerca de 3,2 Milhões de euros e trata-se de uma Coordination & Support Action (CSA).

O investigador mencionado na notícia tem vínculo ao INESC TEC.