Cookies
O website necessita de alguns cookies e outros recursos semelhantes para funcionar. Caso o permita, o INESC TEC irá utilizar cookies para recolher dados sobre as suas visitas, contribuindo, assim, para estatísticas agregadas que permitem melhorar o nosso serviço. Ver mais
Aceitar Rejeitar
  • Menu
Artigo

Especialistas debatem redes de comunicações 6G em evento com organização INESC TEC

Mais de dois mil especialistas estiveram reunidos na conferência internacional 2021 Joint EuCNC (European Conference on Networks and Communications) & 6G Summit, uma das maiores a nível internacional. Organizada pelo INESC TEC entre os dias 8 e 11 de junho, a conferência teve como ponto de partida a definição dos requisitos e a discussão dos programas de investigação das redes de comunicações 6G.

15 junho 2021

O evento incluiu workshops, sessões plenárias e técnicas e uma exposição virtual com mais de 20 stands. Os quatro oradores principais foram Michael Peeters, investigador do imec e professor na Universidade de Antuérpia, na Bélgica, com o tema “Instruções para Antenas 6G”; Manuel Ramalho Eanes, administrador executivo da NOS respondeu à questão “Como é que o 5G permitirá a Sociedade Digital?”; Roberto Verdone, professor na Universidade de Bologna e diretor do WiLab, em Itália, falou sobre “IoT e 6G”; e Petter Vetter, diretor da Nokia Bell Labs, nos Estados Unidos abordou o tema “Aumentando o Potencial Humano na Era 6G”.

A conferência contou também com a participação do Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, na sessão de abertura, no dia 9 de junho.

No ano em que a EuCNC assinalou o 30.º aniversário,o registo na conferência foi gratuito para os participantes.

 

A estratégia de financiamento do 6G

Sob o lema “On the Road to 6G – A caminho do 6G”, a conferência discutiu a implementação avançada do 5G e a visão da rede 6G, que deverá chegar na próxima década. “O 6G começa a ser investigado agora, para ser usado em 2030. Nesta conferência foi lançada a estratégia de financiamento da União Europeia para a investigação do 6G e definida a visão da próxima geração de redes móveis”, afirma Manuel Ricardo, do INESC TEC.

A Comissão Europeia vai estabelecer uma parceria estratégica em redes e serviços inteligentes (SNS), a nível europeu, financiada em 900 milhões de euros pelo programa Horizonte Europa - que procurará, também, obter um investimento semelhante junto do setor privado. Esta iniciativa terá como base os 700 milhões de euros provenientes da 5G PPP (Horizonte 2020), para além de 60 milhões de euros destinados a projetos que exploram soluções além do 5G, nomeadamente através de oito iniciativas que abordam tecnologias específicas, e um grande projeto dedicado ao 6G.

Para além da promoção da investigação em 6G, a parceria SNS ficará responsável por gerir mais de um bilião de euros, de forma a agilizar ações de implementação no âmbito do programa CEF2-Digital, nomeadamente nos "corredores" 5G transfronteiriços. Todas estas atividades serão complementadas por um investimento significativo em tecnologia 5G, por parte dos Estados-Membros, sob a égide do Plano de Resiliência e Recuperação, que disponibiliza 150 mil milhões de euros para investimentos no digital.

O que podemos esperar do 6G?

 

As redes de comunicação serão mais flexíveis, inteligentes e ubíquas (presentes em toda a parte). Os sistemas de comunicações vão incorporar técnicas de aprendizagem automática (machine learning). Estes sistemas vão aprender as necessidades dos utilizadores e adaptar-se, combinando técnicas avançadas de comunicações, computação, sensorização e posicionamento”, explica o também professor da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP).

As redes 6G vão ser importantes para suportar novos tipos de comunicação, como por exemplo, comunicações holográficas e comunicações hápticas (que nos permitem usar outros sentidos como o tato ou o cheiro), Internet para a indústria 5.0, a Internet dos objetos, e comunicações entre veículos autónomos. A sexta geração irá explorar novo espetro rádio nos Terahertz que possibilitará débitos na ordem dos 100 Gbit por segundo, com latências 10 vezes inferiores às do 5G.

A tecnologia 6G tornou-se o principal foco da investigação sobre sistemas sem fios, a nível mundial”, refere o professor Matti Latva-aho, diretor do F6G Flagship, o programa de investigação finlandês responsável pelo lançamento dos eventos 6G Wireless Summits, em 2019.

A 2021 Joint EuCNC & 6G Summit foi organizada pelo INESC TEC, com o apoio do programa 6G Flagship/ Universidade de Oulu, da Comissão Europeia através do projeto EuConNects 4 coordenado pelo INOV-INESC, da Presidência Portuguesa do Conselho da UE 2021 e do Institute of Electrical and Electronics Engineers (IEEE), a maior associação de engenheiros eletrotécnicos do mundo. Tem o patrocínio da NOS, Huawei, Nokia, Virginia Diodes e Ericsson.

O investigador do INESC TEC mencionado na notícia tem ligação à UP-FEUP